2 de julho de 2009

CRIANÇAS SÃO SEMPRE ESPECIAIS

Acabei de ler um artigo sobre a dislexia infantil. Tema tão em voga atualmente. Meu marido comentou outro dia com tom irônico: “é tão grande o número de personalidades famosas e gênios da humanidade que foram consideradas disléxicas na infância, que hoje em dia é até Cult ter dislexia”.Na realidade não se falava muito sobre a dislexia porque não se sabia muito, mas hoje já há padrões de observação que auxiliam aos educadores e pais a identificar com mais exatidão a síndrome.

Quando discutimos esse tema, na verdade estamos falando sobre diferenças. As crianças são muito diferentes umas das outras (depois sim existe a tendência de uma padronização). São tantas as diferenças nessa idade que fica difícil para o educador trabalhar de forma padronizada. Algumas crianças são levemente disléxicas, outras não escutam muito bem, temos as que têm dificuldade de enxergar, e ainda as que são hiperativas (os hiperativos estão também em alta!) e a lista não tem fim.

Como trabalhar com as diferenças - sejam elas mais ou menos acentuadas - nessa primeira infância? Nesses primeiros anos de vida, cada criança exige um olhar, uma forma de se relacionar única, particular. Os estímulos devem ser mais acentuados nas áreas em que a criança se mostra mais habilidosa e receptiva.

É uma tarefa difícil, principalmente em berçários e escolas onde as crianças são monitoradas por um número quase sempre insuficiente de profissionais. Por isto, por mais difícil que seja, é sempre válido reforçar - quanto menos alunos melhor, quanto mais profissionais melhor, para que se consiga uma relação individualizada com cada criança, nesses primeiros anos de vida!
Dê a sua opinião de especialista aqui e divida com a gente as suas idéias!

Um comentário:

  1. Cada criança é realmente especial,pois, saõ diferentes em sua maneira de pensar, falar e agir. Como educadores temos a tarefa de descobrir cada aluno em nossa sala de aula. Saber como cada um pensa e sente é a chave para um trabalho de sucesso.

    Renata Prado
    Belo Horizonte

    ResponderExcluir

Agradecemos seu comentário!